2.4.15

Analise filme “Narradores de Javé”

Nas tradições orais preservasse mais a memória dos fatos do dia a dia, os pequenos detalhes que as formas tradicionais de registro histórico não percebem, a oralidade matem a idéia do fato narrado e acrescenta “pequenos detalhes” na narrativas tornando-as mais saborosas, ao contrário dos relatos escritos, que apesar de também poder guarda fatos narrados, não tem a “magia” da transformação. Além do fato da oralidade ser mais ampla já que o acesso a ela é permitidos a todos, bastando ter a paciência de ouvir, enquanto a escrita é restrita aqueles que manipulam a técnica, exige todo um processo (saber ler, entender o que ler, etc.).  

Sem memória não há história, quando alguém lembra dos fatos ocorridos a dez anos, onde estava pela manhã o que fez a tarde e a noite, esta pessoa estar usando a memória, sem ela, seria impossível que os fatos ocorridos no passado distante chega-se ate nós, no filme “Narradores de Javé”, a história da cidade chegou na modernidade através dos relatos orais, já que não havia os escritos.
A memória não necessita da “exata” lembrança dos fatos ocorridos, mas sim, da idéia do fato, é impossível lembra-nos de tudo o que fizemos em uma festa a mais de dez anos, os pequenos detalhes são esquecidos e apenas aqueles detalhes aos quais nós consideramos importantes ficam na memória por toda a vida. Nota-se no filme que a maioria dos moradores lembrava-se de um fundador, todos sabiam da história, ninguém duvidava que houvesse um fundador, mas todos que contavam a história apresentavam uma versão diferente.
O esquecimento é necessário para existir memória, só lembramos dos fatos aos quais nos marcaram positivo ou negativamente, se ouvimos uma história e ela nos “marca”, tem um significado, ela fica na nossa mente. Se não tem importância para que lembrar?
A oralidade é importância para as sociedades que não usam qualquer forma de registro dos fatos que estão ao seu redor, estas sociedades mais “primitivas”, em relação a nossa, veem a fala não apenas como meio de comunicação diária, mas como instrumento de transmissão de conhecimento. Nestas sociedades tanto a sobrevivência dos indivíduos como a sua cultura é fundada na oralidade. Exemplo, uma tribo habita uma região em que há animais perigosos, os mais experientes da tribo, através de mitos e lendas sobre animais devoradores de homens, etc. Gera conhecimento, que se firmar entre a posterioridade. 


Nestas sociedades o conhecimento é transmitido dos mais antigos para os mais novos, sucessivamente até que se torne memória daquele povo.O filme dá ênfase a importância da memória e tem como foco a discussão da história de vida dos moradores da pequena cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião, crítica ou sugestão, e ajude-nos a melhorar o Blog Ametista de Clio!